Pular para o conteúdo

MARICÁ ALÇA VOOS MAIORES COM EXPANSÃO DO AEROPORTO PARA 13 AERONAVES

  • por

ABERTURA DO PÁTIO 3 MULTIPLICA A CAPACIDADE OPERACIONAL DO AEROPORTO DE MARICÁ

A inauguração do Pátio 3, nesta terça-feira (19), leva o Aeroporto de Maricá a alçar voos maiores. Isto, porque a área expandida para 20 mil metros quadrados poderá receber até 13 aeronaves de grande porte, elevando o serviço ao nível de atendimento em consonância com o crescente desenvolvimento da cidade.

Chamada S-92, a gigante, como é conhecida no offshore, possuía local de pouso e decolagem para apenas uma aeronave e outras seis vagas para aeronaves de menor porte, divididos em Pátios 1 e 2. A ampliação da área, administrada pela Codemar, é, portanto, uma operação gigante, pois atenderá demandas da Petrobrás por transporte aéreo para plataformas do pré-sal! Cada aeronave S-92 pesa 7 toneladas e comporta até 19 passageiros.

O presidente da Codemar, Hamilton Lacerda, estima que, com as novas operações, as demandas diárias poderão mais que dobrar, saindo de 18 para 43 voos: “Estamos cumprindo mais uma etapa, mas ainda virão novas e importantes fases. Vamos realizar outras obras de expansão e, com o aumento do número de operações, a previsão de geração da receita do Aeroporto de Maricá de R$ 55 milhões em 2024”, afirmou Lacerda.

Segundo o diretor da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), Rogério Benevides, o investimento em offshore traz uma série de consequências, como desenvolvimento econômico, bem-estar social, atividades e oportunidades profissionais.

“Além da operação local, são mais restaurantes, mais circulação de moeda. Investimento que não é só para Maricá, vai trazer para o estado uma estrutura ainda melhor de atendimento offshore. Uma das mais importantes indústrias desse país”, analisou.

O Aeroporto de Maricá possui localização estratégica, a 50 minutos de voo das plataformas de petróleo do Campo de Búzios, na Bacia de Santos, o maior em atividade no pré-sal. Voos mais curtos significam economia para as empresas que fazem esse tipo de transporte. Além de oferecer tarifas mais atrativas do estado no combustível para as aeronaves.

O representante do Departamento de Controle do Espaço Aéreo (Decea), o brigadeiro Ary Rodrigues Bertolino, afirmou que em 5 ou 10 anos, Maricá vai ser a principal cidade em termos de circulação de aeronaves “depois da Ponte Rio-Niterói”. E prosseguiu “Maricá começou com uma pista pequena, foi investindo, e, hoje, eu digo para vocês com toda tranquilidade: eu não conheço, no Brasil ou na América Latina, um aeroporto que tenha uma capacidade desse porte de 13 aeronaves. Quer dizer que nem na Força Aérea nós temos tantas posições dedicadas a helicópteros de grande porte como temos aqui em Maricá”, afirmou.

A previsão para este ano de 2024 é que o número de passageiros chegue a 724 mil, a serem ocupadas gradativamente até o final do ano. Em 2023, foram 23 mil pessoas embarcando em Maricá, um valor 360% maior que em 2022, com 5 mil.

FONTE: IMPRENSA CODEMAR

FOTO DESTAQUE: MATHEUS ALTER

DEMAIS IMAGENS: GERONIMO FERREIRA

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *